sábado, 30 de abril de 2011

Amanhã será dia de (giras)SOL - também em Faro

O tempo está de chuva - mas bom para plantar (giras)sóis em Faro! É já amanhã, 1 de Maio, que temos oportunidade de juntar a nossa cidade ao «Dia Internacional da Guerrilha Girassol», uma acção de Jardinagem de Guerrilha com o objectivo de... "plantar sorrisos nas almas urbanas"!

A ideia, como já contámos (ver post), é que cada um de nós procure na sua vizinhança ou caminho habitual um pedaço de terra pública – um jardim degradado, um canteiro abandonado, ou mesmo um espaço com terra junto a uma árvore - e, "armado" com algo para fazer um buraco no chão (2 a 5 cm), aí plante sementes girassol! 
Foto de Blog Jardinagem de guerrilha
Convém que seja um sítio onde possa cuidar dela (regar e proteger), para não ser mais uma planta abandonada... 
E depois tirar fotos e mandar!! para mostrarmos aqui no Blogue e no Facebook os "sóis" que espalharmos por Faro  :-)


Para quem queira procurar companhia para esta acção de Jardinagem de Guerrilha, marcamos encontro entre as 10h30 e as 11h no Maktostas, no Largo do Carmo (ou junto ao Seu Café, se o MT estiver fechado). Tragam sementes de girassol (se tiverem para partilhar, melhor!) e instrumento para fazer os furos. Água para regar parece que não vai ser necessário para já ;-)


Vamos a isso!


-----
Contactos Glocal para depois partilhar a vossa experiência: 
glocalfaro@gmail.com e Glocal no Facebook


Podem também mandar imagens e textos para o grupo nacional de Jardinagem de Guerrilha: jardinagemdeguerrilha@gmail.com e/ou Facebook-Grupo Jardinagem de Guerrilha

-----

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Vamos semear Girassóis! :-)

É já neste domingo, dia 1 de Maio, que a Jardinagem de Guerrilha (Guerilla Gardening), no mundo inteiro, irá semear girassóis por todo o lado.
É uma forma de trazer beleza e diversão para cada um de nós e para a cidade!

Este ano é o quinto em que se celebra o “Dia Internacional da Guerrilha Girassol” (International Sunflower Guerrilla Gardening Day). Para ver como tudo começou, em 2006, vá a: http://brussels-farmer.blogspot.com/2006/05/manifesto_11.html


O 1º ponto (dos 7) do "Manifesto Girassol" aí apresentado explica:
"O girassol é uma planta benéfica. Não consome muitos recursos (precisa de pouca água e não esgota o solo). Os seus produtos são consumidos pelo Homem e reconhecidos pelos seus benefícios nutricionais. O óleo extraído também pode ser usado directamente como biocombustível. A flor, amarela, sempre virada para o sol, libera um sentimento positivo."

Em Portugal, o evento é proposto no Facebook pelo grupo Jardinagem de Guerrilha (também em http://www.jardinagemdeguerrilha.blogspot.com/). Transcrevemos aqui parte das dicas deles:

Faz um plano para o dia 1 de Maio! Procura no teu caminho habitual ou na tua vizinhança um pedaço de terra pública – um jardim degradado, um canteiro abandonado, ou mesmo um espaço com terra junto a uma árvore… Imagina estes lugares com girassóis enormes e o que isso poderia causar às pessoas que por lá passarem! ;)


Dirige-te à uma loja de sementes próxima e adquire as suas sementes de girassol! Com 1 euro compras muitas sementes!


Se quiseres, podes partilhar as tuas ideias e criar grupos de discussão/organização local no Grupo Jardinagem de Guerrila – Facebook http://www.facebook.com/group.php?gid=113904988644294&v=app_2373072738&ref=ts


Poderás fazê-lo igualmente no Forum do Evento internacional, em GuerrillaGardening.org http://www.facebook.com/group.php?gid=4605708492


Espalha a palavra aos amigos e a outros Jardineiros de Guerrilha!
Cadastra-te também no grupo GuerrillaGardening.org, no Facebook http://www.facebook.com/group.php?gid=2341197575

Existe também alguma informação aqui: http://permaculture-media-download.blogspot.com/2011/04/international-sunflower-guerrilla.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+PermacultureMediaDownloadBlog+%28Permaculture+Media+Download+Blog%29&utm_content=FaceBook


Tudo que precisas são as sementes, algo para fazer um buraco no chão (2 a 5 cm) e um pouco de imaginação! Depois tens de molhar e cuidar da tua planta. Se não tiveres cuidado com ela, ao longo do seu crescimento será mais uma planta abandonada e pronta para ser ou vandalizada ou retirada pelos jardineiros da câmara… Escolhe um local onde saibas que podes cuidar dela (regar e proteger) e que seja pouco provável que os jardineiros da câmara a retirem como uma ERVA DANINHA! Bom trabalho!


Documenta com fotografias a tua acção e depois partilha connosco as tuas imagens! Vai ser uma alegria!


Dicas estão disponíveis aqui:
http://www.guerrillagardening.org/
E claro, em Faro o GLOCAL apoia este “Dia Internacional da Guerrilha Girassol” :-)

sexta-feira, 22 de abril de 2011

22 de Abril - Dia da Terra!

http://www.earthday.org/earth-day-2011

O tema deste ano é um Bilião de Acções Verdes - veja p.ex. aqui o que está nas suas mãos fazer!

Em Portugal a Quercus aproveita esta celebração para lembrar que o nosso país e o mundo ainda não souberam mudar de paradigma rumo a um Planeta Sustentável...

Transcrevemos parte da mensagem que pode encontrar no site da Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza:

« Por uma economia verde com um novo paradigma

Infelizmente, para além da insustentabilidade financeira de muitos dos projectos desenvolvidos em Portugal nos últimos anos, os custos ambientais e para a conservação da natureza têm sido enormes: quer autoestradas com pouco tráfego atravessando áreas sensíveis, quer vias que estimularam o uso do automóvel com consequente poluição; barragens com um rendimento muito limitado mas que destruíram património único; urbanizações e empreendimentos turísticos em zonas de solos produtivos ou ecologicamente relevantes.

À escala do país e no mundo, o paradigma para se ultrapassar a crise mantém-se: estimular a produção e o consumo, sabendo-se que os recursos materiais são finitos e escassos, e os consumos energéticos devem ser limitados no caminho para uma transição onde predomine a utilização de energia renovável.

O consumo actual de recursos naturais ultrapassa em 50% a capacidade do planeta suportar e regenerar esses recursos, uma tendência que tem mantido uma trajectória de crescimento contínuo. A pegada ecológica do planeta duplicou desde 1966, porque a pegada de carbono (uma das suas componentes) aumentou 11 vezes desde 1961. Contudo, existem grandes diferenças entre os países do mundo relativamente à pegada ecológica, devido ao seu nível de desenvolvimento económico e social (WWF, 2010). Cerca de um sexto da população mundial é responsável por quase 80% do consumo mundial em termos de bens e serviços. Actualmente, 75% das pessoas à escala mundial consome um décimo em comparação com um cidadão europeu médio (Worldwatch Institute, 2010).

É necessária uma mudança radical no modo como as empresas desenvolvem os seus negócios. As bases dos lucros e perdas, do progresso e da criação de valor têm de ser redefinidas para considerar os impactes ambientais a longo prazo e o bem-estar pessoal e social. Os preços deverão reflectir todas as externalidades de produtos e serviços (custos e benefícios) e as empresas têm de procurar uma maior eficiência na aquisição de materiais, concepção de produtos, produção, marketing e distribuição (o que tem benefícios ambientais e reduz custos). A economia tem de criar emprego suficiente, aumentando ao mesmo tempo, a produtividade do trabalho.

A criação de sistemas de produção de bens em circuito fechado e em rede têm de impulsionar a indústria e reduzir a necessidade de extracção de recursos primários. Os sistemas em circuito fechado deverão passar a utilizar os resíduos como recursos, eliminando a sua deposição no solo, no ar ou na água. Para os mercados globais, a sustentabilidade passará pela atribuição do valor real às externalidades associadas (como os impactes ambientais dos seus produtos e serviços e o benefício dos serviços prestados pelos ecossistemas naturais), a valorização das boas práticas ambientais pelas empresas (que reduzem impactes e custos) e a preferência dos consumidores por bens e serviços com menores impactes ambientais e maior valor acrescentado. Por outro lado, a aposta num desenvolvimento local, com aposta em (novos) produtos e serviços próprios (nomeadamente com espécies autóctones) é também um investimento necessário ao nível global. Neste quadro, é essencial que, ao nível do sistema financeiro, os bancos invistam nestas vertentes.

Um milhar de milhões de acções verdes - a caminho da Cimeira Rio+20

O tema do Dia da Terra em 2011 é a mobilização através de todo um conjunto de pequenas acções que cada um de nós pode tomar para reduzir a sua pegada ecológica. Em causa está uma redução do uso dos materiais, da água em particular, da energia, das emissões de carbono causadoras das alterações climáticas, de resíduos. Todas essas contribuições deverão fazer parte de um caminho para uma mobilização que é urgente acontecer e cuja oportunidade existe através do trabalho e com o apelo das populações de todo o mundo, conjugada com a presença (e espera-se, decisões) dos chefes de Estado e de Governo de todos os países na Cimeira que terá lugar no próximo ano no Rio de Janeiro, com igual propósito que a ECO/92, que teve um enorme efeito na mobilização e actuação em prol de um desenvolvimento sustentável há quase 20 anos atrás.

A Direcção Nacional da
Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza »

Leia mais sobre o Dia da Terra na Wikipédia

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Canteiro plantado na Penha


Aí está o resultado da nossa "plantação" no Domingo passado, num pequeno canteiro da Penha :-)
Se morarem por perto cuidem dele...





Canteiro na esquina da R. Jornal Folha de Domingo
com a R. Dr. José Filipe Alvares, Penha, Faro

Plantado a 17.04.2011

sábado, 16 de abril de 2011

Vamos plantar canteiros em Faro, Penha, 17 Abril, Local de Encontro


O local de encontro sera na esquina da R. Jornal Folha de Domingo (clicar na imagem para aumentar)

Vamos Plantar Canteiros em Faro - Penha, 17 de Abril

Vamos novamente plantar canteiros - desta vez na Penha!
Será já amanhã, domingo, 17 de Abril, às 10h.
Informaremos sobre o local exacto em breve.

Apareça!

Traga um pequeno sacho ou pá, luvas de jardinagem - e, se tiver, plantas...

Se não puder desta vez  (é verdade, o aviso foi muito em cima da hora...) mantenha-se em contacto porque haverá mais oportunidades!

terça-feira, 12 de abril de 2011

Participação Glocal no Congresso de Agricultura Urbana e Sustentabilidade

O Glocal esteve no Congresso Internacional sobre Agricultura Urbana e Sustentabilidade, realizado nos dias 7 e 8 de Abril no Seixal. Deste destacamos os seguintes temas:
- Qualidade alimentar – continua a debater-se a necessidade de medida da qualidade ambiental e dos solos em que se pratica a agricultura urbana (AU). Ficou em cima da mesa a questão: O que é pior - agricultura biológica em espaço urbano contaminado ou produtos que são tratados com pesticidas?
- Acesso à água – em que condições se acede à água para regar os espaços de AU. Não há modelos partilhados entre as várias autarquias promotoras de AU e mantêm-se diferenças nas condições de acesso consoante se tratem de hortas espontâneas ou de hortas de responsabilidade autárquica ou institucional.
- Inclusão da AU nos instrumentos de planeamento – Exige-se cada vez mais integrar os espaços de produção agrícola nos PDM’s. Os planos verdes, onde podem ser enquadrados os espaços para a AU de forma coerente com o modelo de ordenamento dos territórios, são uma realidade muito pontual e não consolidada. Há um reconhecimento político de que é mais vantajoso o investimento em hortas do que em parques ajardinados – os custos com a manutenção diminuem drasticamente!
- O desenvolvimento da Agricultura Social e os efeitos terapêuticos da AU – discute-se a articulação entre estes dois movimentos, a AU e a Agricultura Social (promovida para efeitos de integração de grupos vulneráveis). Por outro lado, assume-se a AU como uma das iniciativas mais completas em termos de intervenção social (sendo a área da saúde igualmente referenciada).
- AU de sobrevivência ou como estratégia de sustentabilidade económica das cidades – começa a debater-se que a AU pode não ser apenas vista na lógica de ocupação ou de subsistência, mas pensa-se numa AU enquanto uma lógica produtiva que pode trazer valias económicas para as cidades.
Projectos e Iniciativas referenciados no decurso do Congresso:
Hortas Comunitárias de Teresina. Artigo que retrata a comunicação apresentada: http://ddd.uab.cat/pub/revibec/13902776v5p47.pdf
Carrot city. Projecto que irá ser transformado em livro, a partir de Setembro de 2011. Trata-se de um projecto de design de agricultura urbana nas suas variadas vertentes. Aceder em www.carrotcity.org
Projecto Sachola. Um projecto em desenvolvimento pela Escola Nacional de Saúde Pública – Prof. Luís Saboga Nunes. Inclui um questionário às autarquias para avaliar a importância da AU. No site podem encontrar-se algumas referências à cultura hidropónica que pretende desenvolver nas escolas. Alguma informação em www.infohorta.net
Plano Verde de Lisboa. Componente do PDM aprovada em 1993 e desenhada por Ribeiro Telles para estruturação dos espaços verdes do concelho. Actualmente integra o conjunto das hortas que estão a ser implementadas pela autarquia. Mais informações em: http://lisboaverde.cm-lisboa.pt/
Fundação RUAF. Entidade que apoia no desenho e implementação e desenho de políticas e projectos de agricultura urbana. Ver em: http://www.ruaf.org/
Associação de Valorização Ambiental da Alta de Lisboa. Participação cidadã no desenho de uma política de agricultura urbana para a nova zona de extensão da cidade de Lisboa – a zona da Alta. Regulamento de funcionamento igualmente concebido pelos cidadãos do bairro. Projecto Altas Hortas em: http://avaal.wordpress.com
Dictamen do Comité Económico e Social Europeu NAT/204. Prevê a redacção de uma carta de agricultura peri-urbana e um observatório europeu de agricultura periurbana. Ver em www.agroterritori.org/ficha.php?doc=7&cid=1
2012 Community Gardens. Campanha que visa a criação de 2012 espaços de cultivo na cidade de Londres, até 2012! Ver iniciativa em: http://www.capitalgrowth.org/
SofarSocial Farming. Contempla vários recursos sobre agricultura social. Ver mais em: http://sofar.unipi.it/

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Congresso Internacional Agricultura Urbana e Sustentabilidade

«Nos dias 7 e 8 de Abril de 2011, o Auditório Municipal do Seixal, recebe o Congresso Internacional Agricultura Urbana e Sustentabilidade, que propõe o debate e troca de experiências sobre uma temática que é hoje em dia reconhecida como parte da solução para os problemas do crescimento urbano.

A importância da Agricultura Urbana cresceu rapidamente nas últimas duas décadas, passando a fazer parte da agenda internacional, quer em termos de desenvolvimento de políticas quer de concretização de projectos. As iniciativas promovidas e o trabalho desenvolvido neste âmbito reflectem-se hoje na efectiva consciencialização das autoridades nacionais e locais sobre a importância que o acesso aos meios para produção de alimento tem nas comunidades urbanas, tendo essas mesmas autoridades começado a trabalhar com os agricultores urbanos em vez de estar contra eles.»

O Glocal-Faro irá estar presente neste congresso. Daremos notícias

terça-feira, 5 de abril de 2011

Fotografias da iniciativa "Vamos plantar canteiros em Faro!"

Para quem não tenha ainda ido ver na página aqui "ao lado" (Acção 27 Março), ou no Facebook, aqui ficam os links para alguns dos álbuns de fotografias do evento....

....e uma pequena selecção :-)

O Largo da Madalena antes...
e depois!



E como a transformação aconteceu - na tarde de domingo
27 de Março de 2011
 Plantando!
(Foto de IBeja)
(Foto de IBeja)
(Foto de IBeja)
(Foto de Quita)

A Associação Terramada explica as propriedades do Aloé Vera
(Foto de Quita)

 Trocam-se plantas, sementes - e ideias
(Foto de Quita)

 Quando já está tudo plantado - a rega
(Foto de Quita)
 E a foto de grupo, claro!
(Foto de Nelson Dias)
O lanche para repor energias - oferta da Tasquinha Cruzeiro
(Obrigado!! :-)
(Foto de IBeja)
E o festejo final - oferta agora do Bakana's!
(Obrigada também! :-)
(Foto de Nelson Dias)


sábado, 2 de abril de 2011

Jardineiros voluntários precisam-se!

No âmbito do "Ano Europeu das Actividades Voluntárias que Promovam uma Cidadania Activa" o Centro Europe Direct do Algarve propõe uma manhã de serviço para arranjo do jardim da casa das Missionárias da Caridade na Urbanização Alto de Santo António em Faro, entre as 9h30 e as 13h30 do dia 2 de Abril.

Esta acção, intitulada "Jardineiros por caridade!", e contando com o apoio a FAGAR, é destinada aos funcionários da CCDR Algarve mas está aberta à participação de todos.

Os interessados devem levar roupa e calçado práticos, bem como utensílios de jardinagem e 1 saco de terra.

Agradece-se a inscrição para europedirect@ccdr-alg.pt


No decorrer do ano de 2011 estão já agendadas outras actividades relacionadas com esta temática destacando-se: as comemorações do 9 de Maio, este ano também na cidade de Faro em colaboração com o Município, o IPJ, a Universidade do Algarve e a ARH e a "Volta do Voluntariado" que passará também pela nossa capital de distrito.

Fonte: artigo CCDR Algarve em:
http://www.ccdr-alg.pt/ccdr/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=559
Ocorreu um erro neste dispositivo