segunda-feira, 31 de maio de 2010

Autodestruição da Globalização

Hoje vivemos num T0. Para conhecermos basta queremos. Para encontrarmos basta sair de casa. Pois é: o mesmo planeta que há coisa de 50 anos era enorme e em que era preciso imenso tempo para nos deslocarmos de um local para outro desapareceu. Hoje qualquer distância se faz em pouco tempo. Num dia, que era o tempo de uma viagem norte-sul em Portugal, podemos estar do outro lado do mundo.

A este mundo novo já não chamamos Terra de Vera Cruz, apesar de as potencialidades serem as mesmas. Em escalas diferentes. A este novo mundo chamamos mundo global. Passam a ser possíveis os contactos com todo o mundo por qualquer via e passamos a poder estabelecer contactos com todo o mundo de forma rápida.

A globalização, de que tanto se houve falar, criou uma teia de relações globais tanto no domínio pessoal como social como económico como estatal permitindo um intercâmbio ideológico, intelectual e cultural muitíssimo saudável, na minha opinião.

Esta mesma globalização depende da inteligência do Homem. O que queremos para o futuro global? Temos duas hipóteses: ou o futuro passa pela relação interpessoal (que é um bem aliás escasso) ou passa pelo fim das relações humanas. O mesmo desenvolvimento tecnológico que permitiu a união de pessoas dos 5 continentes mostra já grandes possibilidades de as separar, mesmo as que vivem na mesma cidade. Hoje uma chamada, um SMS ou um e-mail estabelecem contacto privilegiado com seja quem for não se dando valor às relações interpessoais.

Actualmente, para além do problema tecnológico, temos o problema fóssil. Tornando-me mais claro: mesmo que queiramos estabelecer relações interpessoais com os quatro cantos do mundo se não tivermos como nos deslocarmos torna-se claramente mais difícil. Impossível. Se noutros tempos foi o nosso pouco conhecimento que nos levou a optar por um crescimento insustentável agora é a nossa inteligência que nos bloqueia o acesso à sustentabilidade. Não explorámos os recursos da Terra de forma a podermos lucrar sempre deles. Mas agora que sabemos como fazer uma exploração adequada dos recursos que nos restam continuamos sem querer fazer nada.

Sem combustíveis fósseis, e com uma enorme inaptidão para procurar alternativas, caminhamos a passos largos para o fim daquilo que permite que as sociedades e que a sociedade global funcionem.

Estamos a conseguir duas coisas ao mesmo tempo: acabar com as nossas sociedades, e a preparamo-nos para uma "terceira guerra mundial com paus e pedras", e ao mesmo a acabar com a possibilidade da nossa existência tal como a conhecemos.



Cabe-nos a nós, jovens preocupados e atentos alertar os que têm poder de decisão para tomarem as decisões correctas. Cabe-nos a nós, jovens de ciência e conhecimento mostrar por a + b que a sustentabilidade é possível e necessária e com menos custos financeiros, humanos, e de recursos e assim dar aos que decidem os instrumentos da decisão. Cabe-nos a nós, jovens garantir que quando tivermos a decisão nas nossas mãos a tomaremos em consciência de acordo com os valores de uma cidadania ambiental e global consciente.

É o nosso futuro. O tempo é de acção. São nossas as decisões. O que é que queremos?

António Lima Grilo, Vencedor Nacional da Categoria Sénior das XIII Olimpíadas do Ambiente


Imagem:

sábado, 29 de maio de 2010

Mobilidade Sustentável: Boas práticas... e Faro

Referiu-se noutro post a existência de um Plano de Mobilidade Sustentável do Concelho de Faro e a inclusão do município entre os 40 seleccionados no âmbito do Projecto Mobilidade Sustentável (http://www.mobilidade.weblx.net/).
Ficou na altura a dúvida sobre actividades efectivamente desenvolvidas nesse quadro.

A recente publicação, pelo projecto, do "Manual do Projecto Mobilidade Sustentável" (2 volumes disponíveis online), traz nova informação sobre este tema:

Neste Manual de Boas Práticas são incluídas 2 fichas relativas a intervenções no Concelho de Faro, de que se incluem adiante breves excertos. Em ambos os casos, está feito o diagnóstico e uma proposta de intervenção - resta agora a sua execução...


Ficha 5.4.3: Modelo urbano orientado para o transporte público de Montenegro e Gambelas – Faro
"(...) tem de se repensar os Planos de Ordenamento do Território e os Planos de Mobilidade convencionais, reconhecendo-se que as redes de transporte de baixo carbono devem estar baseadas sobretudo numa mobilidade inter-regional e regional ferroviária e em movimentos locais a pé, em bicicleta e em transportes colectivos.
Com esta proposta de intervenção pretende-se articular a urbanização e a provisão
de transportes nos aglomerados do Montenegro e de Gambelas, de forma a reduzir a
necessidade de uso do transporte individual. Também permitirá a um maior número de pessoas uma boa acessibilidade aos transportes públicos."

Ficha 5.8.2: Corredor pedonal acessível para todos em Faro
"(...) a ACAPO manifestou interesse em tornar acessível um corredor pedonal entre a sua sede (Rua António Bernardo da Cruz) e a Estação de Comboios de Faro, passando pelo Mercado Municipal, o Teatro Lethes e o Terminal Rodoviário, numa extensão de cerca de 2 km. Para tal foi necessário fazer o diagnóstico das barreiras urbanísticas actualmente existentes no corredor pedonal proposto e projectar estes espaços urbanos de acordo com os princípios do Design Universal, de forma a garantir, a todos os cidadãos, o direito ao acesso físico à cidade e aos serviços associados."
A estratégia de intervenção contempla diversas medidas técnicas e algumas medidas gerais.
"O projecto e execução do corredor pedonal acessível estão a cargo da Câmara Municipal de Faro que poderá recorrer a fontes comunitárias de financiamento."

(Fonte: "PROJECTO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL. Volume II – Manual de Boas Práticas para uma Mobilidade Sustentável", APA: Amadora, 2010. http://www.mobilidade.weblx.net/manual/volume2.pdf
Autoria das fichas referidas: Manuela Rosa, Universidade do Algarve)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Reciclagem: Funchal continua a liderar

O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Albuquerque, afirmou que o concelho continua a liderar, a nível nacional, a taxa de materiais recicláveis, com uma média de 25,66 por cento, muito acima da média nacional de 10 por cento.


Os dados relativos a 2009, revelados pela autarquia, dão conta que os números da reciclagem estão a subir desde 2005 [20,48%], fixando-se, no ano passado, o aumento em 8,99 porcento.
Miguel Albuquerque afirmou que a subida fica a dever-se “aos munícipes e aos investimentos feitos nos circuitos de recolha selectiva porta a porta, em funcionamento desde 2002”, acrescentando que “para a autarquia esta é também uma importante fonte de receitas, tendo a venda dos resíduos recicláveis originado um rendimento de 1.395.200 euros”.
Os funchalenses diminuíram ainda a produção de resíduos sólidos [0,32%], reduzindo de 79.255 para 79.003 toneladas, uma tendência que se verifica desde 2007.
Para o futuro a autarquia espera avançar, “de uma forma contundente”, para a recolha de resíduos orgânicos porta a porta, que neste momento representa aproximadamente metade da produção de lixo indiferenciado no concelho.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Lagos: Novo parque eólico protege aves e produz energia limpa para a população da cidade

Proteger aves migradoras como águias, abutres e cegonhas e ajudar a reduzir em 60 por cento até 2020 o consumo energético português através de energias renováveis são algumas das potencialidades do novo parque eólico do Algarve inaugurado domingo.

Com uma tecnologia inovadora criada por portugueses e inspirada na NASA e na US Air Force, o novo "Parque Eólico de Barão de S. João", com 25 aerogeradores, vai permitir produzir energia para toda a população de Lagos - prevê-se que produza por ano, aproximadamente, 153 gigawatts por hora (GWH) -, com a particulariade de proteger as aves migratórias através de um sistema de deteção por radar e tecnologia SGPS/PTT, que faz deteção e seguimento automático da avifauna.

Com um investimento de 70 milhões de euros, a empresa E.On, um dos maiores operadores privados do mundo em eletricidade e gás, estima com este novo parque eólico no Algarve gerar energia elétrica limpa para cerca de 200 mil habitações, disse o presidente da E.ON Renováveis, Miguel Antoñanzas.


O ministro da Economia, Inovação e Desenvolvimento, Vieira da Silva, que presidiu à inauguração da nova estrutura, declarou que o novo parque eólico do Algarve vai dar três contributos energéticos para a política energética em Portugal.

"Diversifica territorialmente a produção de energia elétrica, sendo o maior parque eólico do sul do país, é uma componente da produção alternativa à importação de combustíveis sólidos e tem um sistema de controlo positivo na migração das aves", referiu o ministro Vieira da Silva.

"Este parque é mais uma importante peça numa estratégia que tem a mais elevada prioridade no nosso país", sublinhou o ministro, acrescentando que os novos aerogeradores vão contribuir para que até 2020 Portugal consiga alcançar o objetivo de 60 por cento do consumo energético provenha de fontes renováveis.

Por outro lado, o sistema de deteção por radar permite localizar aves de todo o tipo.

Desde pássaros do tamanho de um pardal até aves migradoras planadoras como abutres, águias e cegonhas são possíveis de detetar com a nova tecnologia instalada no maior parque eólico do Algarve.

Em declarações aos jornalistas, Miguel Repas, responsável pelo desenvolvimento da nova tecnologia para parques eólicos - da empresa STRIX -, disse que os aerogeradores com o sistema de radar deverão ter que parar cerca de 150 horas por ano para proteger a biodiversidade local e das aves migratórias.

A STRIX - uma empresa de prestação de serviços nas áreas do ambiente, energias renováveis e sistemas de informação - foi a responsável pelo Estudo de Impacte Ambiental (EIA) do projeto do "Parque Eólico do Barão de São João".

terça-feira, 25 de maio de 2010

SEMINÁRIO EM FARO: OPORTUNIDADES DE INTERVENÇÃO NO MEIO EDIFICADO PARA UMA MAIOR EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

31 de Maio 2010 entre as 16:30 - 19:30 Horas
Entrada Gratuita - Inscrição obrigatória:
mail@construcaosustentavel.pt Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar - Tel: 918 613 023

Auditório da CCDR Algarve
Praça da Liberdade, 2,
8000-164 Faro
Enquadramento e Objectivos
Em 2010, a Iniciativa CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL, em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a Agência para a Energia (ADENE), visitará oito cidades no continente com os seus SEMINÁRIOS cujo objectivo é colocar à disposição dos interessados a informação relevante sobre a Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior e sobre as medidas da Construção Sustentável, conducentes a uma prosperidade alargada.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Recolha no Algarve rende mais de 350 toneladas de resíduos


Autarcas de Loulé (Joaquim Guerreiro e Aníbal Moreno) acompanharam Vitor Palmilha nesta jornada
Grupo de caçadores e entidades na jornada de limpeza realizada na Zona de Caça de Quarteira Entidades participando na acção
Realizou-se em toda a região algarvia no passado domingo, dia 16 de Maio, mais uma jornada ambiental levada a cabo pela Federação de Caçadores do Algarve (FCA), no âmbito da iniciativa nacional promovida pela Confederação Nacional dos Caçadores Portugueses (CNCP), intitulada "Dia Nacional dos Caçadores pelo Ambiente".

Esta foi a sexta edição em prol do Ambiente realizada pela FCA, tendo nela participado, só no Algarve, perto de 4.000 caçadores filiados nas cerca de 170 Associações, Clubes e Empresas de Turismo Cinegético, que nesta jornada tomaram parte.

A jornada decorreu como previsto, tendo contado com a presença de diversas entidades regionais, designadamente do Governo Civil do Distrito de Faro, da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve, das Câmaras Municipais e outras entidades, que voluntariamente se juntaram aos caçadores numa cooperação directa, e que este ano voltou a resultar na recolha de mais de 350 Toneladas de resíduos em toda a região, transformando a acção num importante contributo para a reflexão que é necessário fazer para que sejam encontradas medidas eficazes de combate à poluição ambiental desenfreada que se constata ser cada vez mais agressiva.

Segundo a FCA, nunca é demais recordar que esta iniciativa reveste-se de uma componente pedagógica, já que, se por um lado os caçadores não devem abandonar os cartuchos usados, as embalagens vazias, e outros objectos que transportam consigo quando vão caçar, os cidadãos em geral decem seguir-lhes o exemplo e não abandonarem os aparelhos e equipamentos em final de vida, ou os lixos e entulhos, nos terrenos cinegéticos e agrícolas, conspurcando o ambiente.

Refere ainda a FCA que à semelhança dos anos anteriores, o produto da venda dos metais que este ano foram recolhidos reverterá a favor de instituições de solidariedade social ou cidadãos carenciados, que as câmaras municipais indicarem como prioritárias, que ao longo do ano irão ser entregues em data a anunciar.

Fonte do Texto e Imagem: Região Sul - http://www.regiao-sul.pt/noticia.php?refnoticia=105831

domingo, 23 de maio de 2010

Reciclagem em Faro (I)

A ALGAR é a empresa privada de capitais públicos que é responsável no Algarve pela gestão do Sistema Multimunicipal de Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos. Para além da recolha e deposição de resíduos nos aterros sanitários, ocupa-se também do sistema de recolha selectiva e triagem, que está na base da reciclagem e reaproveitamento dos materiais passíveis de serem valorizados.

Este processo tem início nas nossas casas e empresas/ locais de trabalho, quando separamos os resíduos e os colocamos no sítio certo. Nos Ecopontos, perto de nós, deposita-se o Vidro, Papel, Plástico e Metal ou Pilhas. Já materiais de maior tamanho, em grande quantidade ou de tipo diferente, podem ser entregues em Ecocentros – que recebem por exemplo, electrodomésticos de grande dimensão, mobílias, pneus, etc. Depois, nas Estações de Triagem da ALGAR, é feita uma separação dos resíduos nos seus diferentes subtipos. Existem duas no Algarve, uma localizada no Aterro Sanitário do Barlavento e outra na Estação de Transferência de Faro/Loulé/Olhão, cobrindo assim toda a região. Após a triagem, os resíduos são então encaminhados para a indústria recicladora, via Sociedade Ponto Verde, entidade encarregue a nível nacional da gestão dos resíduos de embalagem.”

No website da ALGAR é possível encontrar diversas informações úteis, como:
  • local onde se encontra o ecoponto mais próximo de si
  • mapa de outras infraestruturas no Algarve (ecocentros, estações de triagem, estações de compostagem, etc)
  • contactos para solicitar acções de sensibilização e formação e marcação de visitas de estudo
  • Reciclómetro”, com dados sobre a reciclagem nos concelhos da região
  • glossário e outras explicações sobre reciclagem
  • e até jogos interactivos
________________________________________________________
     ALGAR - Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A.
  
     Página na Internet: http://www.algar.com.pt
  
     Ecolinha : 800 203 251
  
     Correio Electrónico: geral@algar.com.pt
  
     Morada: Rua Cândido Guerreiro, nº 43 - 3º Frt.
                   8000-318 Faro
  
     Telefone: 289894480

sábado, 22 de maio de 2010

"Olimpíadas do Ambiente" no Algarve em 2011

O projecto "Olimpíadas do Ambiente" é uma das maiores acções nesta área desenvolvidas a nível nacional, e tem como objectivo principal sensibilizar a comunidade escolar e especialmente os jovens portugueses para a problemática ambiental e aprofundar o conhecimento sobre a situação ambiental portuguesa e mundial. Trata-se de uma organização, que tem contado com o alto patrocínio de Sua Excelência o Presidente da Republica, e encabeçada por uma equipa multidisciplinar composta por elementos da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa, da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza e do Zoomarine - Mundo Aquático SA.

A final nacional da 15ª edição das Olimpíadas do Ambiente, que decorreu de 6 a 9 de Maio, na cidade da Horta, ilha do Faial (Açores), depois de ultrapassadas as duas eliminatórias que aconteceram em Janeiro e Março, contou com a presença da Águas do Algarve, que também apoiou o evento.

É de salientar que nos últimos quinze anos de actividade, o projecto envolveu directamente mais de 405 000 jovens, do 7º ao 12º ano de escolaridade e centenas de professores. A presente edição contou com a participação de cerca de 41 000 alunos oriundos de todos os distritos e ilhas do país, representando o maior número de sempre de escolas inscritas na história do projecto.


Nesta celebração da Educação e do Ambiente 77 finalistas da modalidade “Ambiente à Prova” compareceram na última e grande comemoração pedagógica daquela que é a mais abrangente iniciativa nacional de Educação Ambiental. Marcaram igualmente presença os 5 professores responsáveis pelos projectos premiados na modalidade “Ambiente e Cidadania”. Durante os dias da Final estiveram em exposição os dez melhores trabalhos da modalidade “Ambiente e Arte” – duas das mais recentes modalidades deste projecto.

No próximo ano este evento decorrerá no Algarve, com o Apoio da Águas do Algarve. Como é hábito, começam já esta semana os preparativos das XVI Olimpíadas do Ambiente, cuja Final Nacional decorrerá em Maio de 2011, em Faro, sob a égide das Águas do Algarve (anfitrião) e a Universidade do Algarve (parceiro).

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Universidade Algarve: Greve de fome alerta para pesca ilegal e esgotamento dos oceanos

Alunos e investigadores da Universidade do Algarve (UAlg) iniciam na sexta feira uma greve de fome de 24 horas para alertar para o problema da pesca ilegal e do esgotamento de "stocks" de peixe nos oceanos.


Serão cerca de 40 pessoas que, sob o mote de que preferem "passar fome a alimentar-se de peixe roubado", querem chamar a atenção para a "grave" situação das pescas a nível mundial.

A greve de fome está a ser planeada pelas organizações Campanha para uma Reforma das Pescas (CFR) e Campanha para um Mar Sustentável (Camarsus), no âmbito de um protesto que durará dois dias e que coincide com o Dia Mundial da Biodiversidade (que se assinala no sábado).


Além da greve de fome, com início marcado para as 14:00 no "campus" de Gambelas da UAlg, será exibido um filme sobre o tema e serão promovidas ações de sensibilização na rua no sábado.

"Queremos explicar ao público as medidas que deve tomar para contribuir para a sustentabilidade das pescas, como informar-se sobre a origem do peixe e optar por peixe fresco e local", disse à Lusa Greg Puncher, mentor da campanha.

Entre os peixes que estão na lista vermelha e cujo consumo devia ser reduzido contam-se o bacalhau, atum azul, raia, tamboril, pescada e o camarão de aquacultura, diz o canadiano, estudante de mestrado na UAlg.


Segundo Inês Nunes, que irá também aderir à greve de fome, a situação mais gritante é a do bacalhau, em vias de desaparecer mas que continua a aparecer diariamente nos pratos dos portugueses.

"Gostávamos que a Universidade do Algarve adoptasse uma política de alimentação sustentável nos menus das suas cantinas e bares", diz a estudante de Biologia Marinha, sublinhando que deveriam ser apresentadas alternativas.

Como "boas escolhas" para uma alimentação que contribua para a sustentabilidade dos oceanos os estudantes apontam espécies como a sardinha, besugo, carapau, cavala, polvo, choco, lula e amêijoa.

Segundo Greg Puncher, a maioria das pessoas nem se apercebe destes problemas nem tem consciência de que poderá estar a consumir pescado ilegal, pelo que apela aos consumidores para que se informem da origem do peixe.


"Há espécies que estão a ser vendidas como peixe do Atlântico Norte e são afinal peixes tropicais capturados em África", explica Greg Puncher, alertando para o facto da maioria dos oceanos já estarem sobre-explorados.

"A União Europeia encorajou as companhias a reduzir a capacidade da frota pesqueira em águas europeias para salvar os stocks mas o que elas fizeram foi deslocar os barcos para a costa africana", disse.

O protesto tem início às 14:00 de sexta feira no "campus" de Gambelas da Universidade do Algarve, onde será exibido o documentário "End of the Line", prosseguindo no sábado a partir das 09:00 no Jardim Manuel Bívar, em Faro.

Imagem:

Biodiversidade: "Festival da Natureza" no Algarve observa aves, pirilampos e répteis

Observação de pirilampos, répteis, morcegos e visita a grutas e a moinhos de maré são algumas das actividades da primeira edição do "Festival da Natureza", evento que vai decorrer a partir de sábado, 22, pela primeira vez no Algarve.


"A primeira edição do Festival da Natureza surge no âmbito do Ano Internacional da Biodiversidade e arranca dia 22 de maio por ser no Dia Mundial da Biodiversidade", explicou à Lusa Patrícia Ramalho, da organização do evento, observando que a missão do festival é "sensibilizar as pessoas para a conservação dos valores naturais da região algarvia".

A primeira edição do Festival da Natureza propõe um total de 35 eventos, que vão decorrer em todos os concelhos do Algarve (16), e a sessão de abertura vai ser às 09:30 do dia 22, próximo sábado, no Pego do Inferno, em Tavira, onde vão decorrer durante a manhã actividades para o público infantil e adultos, nomeadamente observação de aves e répteis.

Ainda no Dia Mundial da Biodiveridade, mas durante a tarde, a associação ambientalista Almargem, que organiza o evento, propõe uma jornada técnica para debater o futuro sustentável do espaço natural do Pego do Inferno, que tem uma cascata com lagoa natural.

Conhecer o reino dos fungos através de uma palestra sobre os cogumelos que existem no Algarve e de uma degustação no dia 28 de maio, com entrada livre, no Centro de Artes e Ofícios de S. Brás de Alportel, é outra proposta do Festival da Natureza.

Saída de campo para observação de pirilampos em Monchique, saída de campo para observação de morcegos (Loulé) e de répteis (Faro), descobrir a biodiversidade que se esconde entre as rochas na maré vazia, capturar, identificar e marcar as aves do Barrocal algarvio no concelho de Loulé ou uma caminhada ao longo das margens do rio Arade para observação dos moinhos de maré, em Lagoa, são algumas das tentadoras propostas para celebrar a natureza.

O Festival da Natureza propõe também uma corrida fotográfica "O Homem e a Biodiversidade" para o concelho de Alcoutim e um passeio de barco às grutas da Ponta da Piedade com prática de mergulho, em Lagos.

No fim do festival, no dia 09 de junho, os participantes e amigos da natureza podem participar na festa de encerramento da primeira edição do evento, que vai decorrer na Sociedade Recreativa Artística Farense - Os Artistas, entre as 22:30 e as 02:00.

A maioria das iniciativas é gratuita, contudo, nos concelhos que não apoiaram a iniciativa e para garantir a segurança dos participantes, a Almargem observa que têm de ser pagas, mas são sempre valores simbólicos, que rondam os três a 12 euros.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Já separou o seu lixo hoje?

O seu condomínio pode ser um colaborador da natureza basta entender um pouco mais sobre a recolha selectiva de lixo e a reciclagem. A recolha selectiva é simplesmente separar o lixo (papel, metal, plástico e vidro) para que ele seja enviado para reciclagem. A reciclagem é transformar o que seria lixo em algo útil. Alguns itens que podem ser reciclados: papel (jornais, revistas, papelão, papel dos fax); metal (latas de alumínio, aço, tampas, esquadrias); plástico (tampas, recipientes de alimentos, embalagens de refrigerantes tipo PET, garrafas de água mineral, recipientes de produtos de higiene e beleza, baldes, sacos plásticos em geral) e vidro (potes, garrafas, copos, embalagens). Todos esses itens devem ser bem limpos para não atrair insectos, nem exalar cheiro forte.



Mas não basta apenas recolher e separar o lixo. É preciso planear a recolha e a armazenagem dentro do condomínio. Caso não exista nenhum ecoponto perto do condomínio, este deve comprar os ecopontos, verificar onde poderão ficar melhor e quais os dias em que os resíduos serão recolhidos pela empresa municipal de resíduos.

Lembre-se dos 3 R's: reduzir o lixo, reaproveitar tudo o que for possível e só então enviar para reciclar.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Plano Verde para Faro

Em entrevista concedida ao portal www.fores&plantas.com.pt, Macário Correia, presidente da Câmara Municipal de Faro, apresentou-nos as principais políticas de sustentabilidade e de crescimento harmonioso previstas para o município de Faro.


- Espaços verdes existentes e políticas de sustentabilidade
- Estratégias de sensibilização para a protecção da natureza
- Apostas do município para o Ambiente

- Apostas como estratégias para o crescimento social e económico

Fotografia do Eng.º Macário Correia a pedalar no Passeio Ribeirinho de Faro

Para mais informações sobre este interessante artigo http://www.floreseplantas.com.pt/?1&it=tema&co=590&tp=18&mop=0

domingo, 16 de maio de 2010

Reciclagem nas Autarquias

Segundo um estudo divulgado pela Eurostat, em Bruxelas, apenas 17 por cento do lixo municipal foi alvo de reciclagem ou compostagem em Portugal e 2008, um valor muito abaixo da média de 40 por cento da União Europeia.


De acordo com o estudo do gabinete oficial de estatísticas da UE, em 2008 foram gerados em Portugal 477 quilos por pessoa (contra 524 da média europeia), tendo 19 por cento sido incinerados (praticamente em linha com a média dos 27, de 20 por cento), 9 por cento reciclados (muito distante dos 23 por cento da média comunitária) e 8 por cento alvo de compostagem (contra 17 por cento no conjunto da União).

Os países onde a reciclagem e compostagem dos detritos municipais é mais frequente são a Áustria (70 por cento do lixo tratado), sendo a Alemanha (65 por cento) e a Holanda ( 60 por cento), sendo a Alemanha a "campeã" da reciclagem (48 por cento), segundo a mesma fonte.

Eu já separo os meus resíduos para Reciclagem, óleos, pilhas, rolhas e como possuo em pequeno quintal aproveito e faço também compostagem, e tu? Vamos todos contribuir para melhorar estes números e tornarmos Portugal um exemplo a seguir pela Comunidade Europeia!? Apenas depende de nós... contamos contigo.

Fonte: INDUSTRIA e AMBIENTE n.º 61 Março/Abril 2010, pág. 50 - Comentário de Pedro Abrantes

sábado, 15 de maio de 2010

Associação Al-Portel já tem um sítio na Internet

Associação Al-Portel - Associação de Defesa do Ambiente e do Património Cultural de S. Brás de Alportel, ao consultar o site poderá já obter informação sobre a história e a dinâmica desta Associação, que defende os valores da cultura e de um melhor ambiente para todos, com vista a uma maior qualidade de vida para os cidadãos.




Por diversas vezes participei em actividades desta Associação e garanto-vos que valem a pena, não só primando pela originalidade, mas também não descurando a componente Ambiental associada que se deve à completa equipa que a compõe. Se existissem mais Associações desta natureza, concerteza vivíamos num sítio melhor, portanto é a nossa obrigação apoia-las, por exemplo participando nos seus eventos.

Juntos por um Ambiente melhor,
Pedro Abrantes

segunda-feira, 10 de maio de 2010

CONVITE – Ciclo de Conferências “Ambiente, Energias Renováveis e Mobilidade Sustentada em Portugal – Que perspectivas?”

Exm. Senhores/as,

O Núcleo Regional Sul da Associação Portuguesa de Engenharia do Ambiente, juntamente com a Câmara Municipal de Loulé, a Junta de Freguesia de Quarteira e o www.algarverenovavel.com têm o prazer de convidar V. Exa. a estar presente no Ciclo de Conferências “Ambiente, Energias Renováveis e Mobilidade Sustentada em Portugal – Que perspectivas?”, a decorrer no Auditório da Praça do Mar em Quarteira, no sábado dia 15 de Maio 2010, pelas 14h30.



Para mais informações sobre o Ciclo de Conferências e a Feira - http://sul-apea.blogspot.com/

Ajude-nos na divulgação desta iniciativa.

Feira de Produtos Biológicos e Reciclados

15 de Maio, 14:30 às 19:30h na Ecoteca de Olhão


A Quercus convida o público em geral a participar na Feira de Produtos Biológicos e Reciclados.
Aqui terá a oportunidade de adquirir produtos que respeitem o ambiente, desde hortícolas, a peças diversificadas elaboradas reutilizando com muita imaginação.

Poderá também assistir a uma Palestra sobre A Visão Metafísica sobre o Planeta Terra: Alterações Climáticas, Alteração Magnética e Reavaliação do Pensamento Humano. Aprender a fazer sabão, utilizando os óleos alimentares usados, pelas 14:30h.

Pelas 16:30h todos são convidados a entrar na roda e dançar, com músicas tradicionais europeias - Hilde.

Poderão ainda aprender a reciclar os pensamentos, contribuindo para a paz e harmonia.

Nós somos os criadores do nosso próprio ambiente!
Entrada livre!

sábado, 8 de maio de 2010

Sobre planeamento urbano e saúde

Está em inglês... mas este artigo jornalístico é uma óptima introdução ao que já se vai sabendo sobre como o desenho e construção dos espaços/ comunidades onde vivemos influencia a saúde e bem-estar:

A growing movement looks to change development patterns — as a matter of public health.
By Jonathan Lerner

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Ciclo de Tertúlias: Recursos Naturais - A Agricultura Biológica como exploração Sustentável

“Comer saudável é viver saudável”, ou não fossemos o reflexo de nós próprios. Parceiro da “máquina global”, o Homem integra as suas necessidades vitais na economia mundial, podendo não só assumir-se como consumidor passivo, como também investir na sua própria produção. Este será sempre o mecanismo que desencadeia o investimento na agricultura biológica (exploração e comercialização).
A agricultura biológica é o termo frequentemente usado para a produção de alimentos, que não faz uso de produtos químicos sintéticos, tais como fertilizantes e pesticidas, nem de organismos geneticamente modificados, e geralmente adere aos princípios de agricultura sustentável. Este sistema de produção, que exclui o uso de fertilizantes, agrotóxicos e produtos reguladores de crescimento, tem como base o uso de estercos animais, rotação de culturas, adubação verde, compostagem e controlo biológico de pragas e doenças. Pressupõe ainda a manutenção da estrutura e da profundidade do solo, sem alterar suas propriedades por meio do uso de produtos químicos e sintéticos
A agricultura biológica tornou-se num princípio activo e recorrente, destinado a todos os que queiram investir na exploração do sector primário, de uma forma sustentável. No seguimento da emergente ‘propaganda’ sobre agricultura biológica, o NRS-APEA aposta agora na organização de uma pequena tertúlia, destinada a esclarecer e motivar os seus participantes para este tipo de investimento. A tertúlia irá decorrer no próximo dia 7 de Maio 2010 (Sexta-feira), entre as 18h30 e às 20h00 na Pastelaria “Portas do Céu” em Loulé. Para um pleno esclarecimento dos participantes, iremos contar com a participação da Eng.ª Ana Arsénio (associação IN LOCO), Eng. Marreiros (DRAALG) e Eng.ª Maria Mendes (DRAALG).

Para conhecer os detalhes actualizados do programa da visita e outras informações, consulte o nosso site!

domingo, 2 de maio de 2010

IV Expo Ambiente e Energias Renováveis (Quarteira, 13-16 de Maio)

«A 4ª edição da Expo Ambiente e Energias Renováveis, enche mais uma vez a Praça do Mar, em Quarteira, de tudo aquilo que de melhor existe em Portugal em matéria de energias renováveis, veículos amigos do ambiente e tecnologias amigas do ambiente, numa exposição de entrada inteiramente livre.

Trata-se de um evento que, como em anos anteriores, terá uma importante componente formativa e informativa, através das suas diversas iniciativas que englobam um seminário(em conjunto com o Núcleo Regional do Sul da Associação Portuguesa de Engenharia do Ambiente), a construção de pequenos carros solares, cinema de educação ambiental (cine-eco), vários workshops, utilização de fornos solares, acções de limpeza de praia, mas sobretudo divulgação dos melhores equipamentos para aproveitamento das energias renováveis e demonstração de novos conceitos de mobilidade mais amigos do ambiente.»

Esta iniciativa é uma organização conjunta da Junta de Freguesia de Quarteira, e da Câmara Municipal de Loulé, com a colaboração do site www.algarverenovavel.com onde encontrará mais informação.
Ocorreu um erro neste dispositivo